Peixe, chefe de facção preso nesta terça, tinha até ‘gerente de barricada’ e morava em mansão na Vila Aliança

Criminosos criaram um sistema complexo de barricadas com jacarés e trilhos. Eles ainda colocam fogo em pneus durante a aproximação da polícia para dificultar a passagem dos blindados e entrada dos policiais.

Rafael Alves, o Peixe, chefe de uma facção criminosa e preso nesta terça-feira (4) em uma operação na Vila Aliança, Zona Oeste do Rio, contava com um sistema complexo de barricadas para dificultar o acesso da polícia na favela.

Segundo a polícia, para instalar as barreiras nos acessos à comunidade, a quadrilha tinha um gerente de barricadas. Os criminosos usam até ônibus e caminhões como barreiras itinerantes.

“Eles aperfeiçoaram as barricadas, barricadas com jacarés e trilhos, e com pneus que eles ateiam fogo na aproximação da polícia pros trilhos não serem retirados na passagem dos blindados, barricadas móveis com ônibus e caminhões sequestrados e colocados nas comunidades pra obstruir as equipes policiais”, afirmou o delegado Felipe Curi.

Segundo as investigações, Peixe é mentor de constantes ataques à comunidade vizinha, a Vila Kennedy, espalhando o terror entre moradores da região.

Bandido quase escapou
Como os policiais demoraram alguns minutos para conseguir entrar na comunidade por causa do grande número de barricadas, Peixe conseguiu sair de casa e tentou fugir em um carro. O criminoso estava com dois seguranças no veículo.

O helicóptero da Polícia Civil acompanhou a fuga e indicou aos policiais que seguiam em carros o local onde o veículo de Peixe estava escondido – debaixo de uma árvore. Os três criminosos foram presos . Dois fuzis e a pistola dourada, de estimação do Peixe, foram apreendidos.

‘Aquário’ do Peixe

Uma casa duplex, com pé direito alto, iluminação especial e escadas de granito mostram o alto padrão de vida do bandido dentro da favela.

Troca de tiros
Antes da prisão, houve uma intensa troca de tiros entre os agentes e criminosos e um dos seguranças de Peixe, identificado como Rodrigo de Almeida dos Santos, o Fi, foi baleado e morreu. Fi tinha anotações por tráfico de drogas, homicídio e associação.

Outros dois criminosos foram presos: Alexandre dos Santos Júnior, conhecido como Zagallo, e João Victor Rodrigues Siqueira. Eles estavam no carro junto com Peixe. A dupla não possui anotação criminal. Na ação, três fuzis e duas pistolas — uma delas dourada — foram apreendidos.

Após a prisão de Peixe, que foi levado para a Cidade da Polícia, no Jacarezinho, na Zona Norte, criminosos colocaram veículos – ônibus e caminhões – nas principais vias do bairro para evitar que o blindado em que ele estava saísse do bairro.

Peixe já havia sido preso em setembro de 2015. Em março de 2020, o bandido passou a cumprir pena em prisão domiciliar após autorização da Justiça e monitorado com tornozeleira eletrônica. Um ano depois, ele rompeu o equipamento.

O Portal dos Procurados oferecia R$ 20 mil por informações sobre o paradeiro do traficante. Junto com Peixe, a polícia também prendeu Marco Antonio Sena de Andrade, o Lambão, apontado como fornecedor da quadrilha.

 

By Camila Freitas

You May Also Like